22-10-2012

Teste 3D de antissemitismo: Demonização, Duplos Padrões e Deslegitimação

source:


Por Natan Sharansky


 

Identificação do "novo antissemitismo"


O chamado "novo antissemitismo" representa um desafio fora do comum. Enquanto que o antissemitismo clássico é direcionado contra o povo judeu ou a religião judaica, "o novo antissemitismo" é direcionado contra o estado judeu. É mais difícil expor esse tipo de antissemitismo, uma vez que pode estar ocultado sob o disfarce de critica legítima à Israel. O que faz essa tarefa ainda mais difícil é que esse ódio é promovido em nome de valores considerados pela maioria de nós incontestáveis, por exemplo, os direitos humanos.

 

Contudo, temos que ser claros e francos ao expor esse antissemitismo novo. Acredito que podemos aplicar um simples teste. O chamo de "teste 3D" - para nos ajudar a distinguir entre crítica legítima à Israel e antissemitismo.

 

A primeira "Dimensão" (1o D) é o teste da Demonização. Quando está sendo gerada uma demonização contra o estado judeu, quando as ações de Israel são apresentadas em dimensões fora de proporções lógicas, quando são feitas comparações entre israelenses e nazistas e entre campos de refugiados palestinos e o campo de extermínio de Auschwitz – isto é antissemitismo, e não uma crítica legítima à Israel.

 

A segunda "Dimensão" (2o D) é o teste de Duplos padrões. Quando a crítica à Israel é aplicada de maneira seletiva, quando Israel é indicada pelas Nações Unidas por abusos de direitos humanos, enquanto fazem vista grossa para os comportamentos dos principais países que reconhecidamente agem dessa maneira, como a China, o Irã, a Cuba e a Síria; Quando é recusada a admissão da Magen David Adom (o serviço de emergência médica de Israel) à Cruz Vermelha Internacional, dentre todas as outras organizações similares do mundo - isso é antissemitismo.

 

A terceira "Dimensão" (3o D) é o teste da Deslegitimação. Quando o básico direito de existência como um povo em seu país é negado somente em relação a Israel - dentre todos os outros povos do mundo - isso é também antissemitismo.

 

Natan Sharansky, ex-prisioneiro político na ex-União Soviética, por promover atividades sionistas ("Prisioneiro de Sião"), escreveu esse artigo na época que serviu como o ministro israelense de Assuntos  de Jerusalém e da Diáspora. Em 2003, Sharansky estabeleceu o Fórum Mundial Contra o Antissemitismo, unindo líderes e organizações judaicas de cinco continentes, com o intuito de estabelecer a coordenação e troca de ideias na luta contra o antissemitismo. Foi também o ministro da indústria e do comércio de Israel, ministro do interior, ministro da construção e habitação, e Vice-Primeiro-Ministro de Israel. Sua biografia, Fear No Evil (publicada em português como "Não Temerei O Mal"), foi publicada nos EUA em 1988 e traduzida à nove línguas. Sua obra The Case for Democracy ("O Argumento Para A Democracia"), foi publicada em 2004 pela editora Public Affairs (Nova Iorque).