26-03-2017

Post antissemita é publicado na mídia social a cada 83 segundos, de acordo com um estudo do WJC

source: WJC


O Congresso Mundial Judaico (WJC) descobriu que mais de 382.000 artigos antissemitas foram publicados em plataformas da mídia social durante 2016 - uma média de mais de 43.6 mensagens por hora, ou uma a cada 83 segundos.

 

A pesquisa WJC, conduzida por um monitoramento israelense Vigo Inteligência Social, também afirmou que 63% de todo o conteúdo anti-semita on-line pode ser encontrados no Twitter.

 

"Sabíamos que o antissemitismo na internet está em ascensão, mas os números deste relatório nos fornecem informações concretas sobre a situação que é muito preocupante", disse o CEO do Congresso Judaico Mundial e vice-presidente Robert R. Singer. "Nós esperamos que o estudo sirva de despertador para todos os fóruns on-line afim de manter os padrões éticos elevados, para se livrar de conteúdo abusivo, e para tornar o mundo digital um lugar mais seguro para todos".

 

O estudo WJC analisou dezenas de milhões de mensagens em 20 línguas no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram, blogs e outros fóruns. Após o Twitter, o maior número de mensagens antissemitas na Internet pode ser encontrado nos blogs com 16%. No Facebook foi publicado 11% do conteúdo antissemita on-line, seguido pelo instagram com 6%, YouTube com 2%  e outros fóruns com 2%.

 

Os critérios para determinar se o standard é antissemita, se baseou na definição da Aliança Internacional da Organização do Holocausto (IHRA), em maio de 2016, afirmando que "o antissemitismo é uma certa percepção dos judeus, que pode ser expressa como ódio contra os judeus. Expressões retóricas e físicas de antissemitismo dirigidos contra indivíduos judeus ou não-judeus e/ou à suas propriedades, às instituições da comunidade judaica e instalações religiosas. "Pode-se encontrar aqui a definição completa de antissemitismo da IHRA.

 

As mensagens apropriadas foram identificadas através de um banco de dados de expressões e conceitos pesquisáveis ​​on-line, que depois foram traduzidas para línguas líderes e digitalizados através da internet. Uma amostra representativa foi lida e codificada pelos analistas para refinar as pesquisas e aprofundar a análise qualitativa. Um total de 7.600 mensagens não lidas em diferentes idiomas, que é uma amostra representativa de 2 por cento das todas as discussões que foram incluídas na análise.

 

Mensagens que criticam as atividades de Israel não foram incluídas neste estudo.

 

O relatório completo e uma análise detalhada serão publicados  em 25 de abril, na Assembléia Geral do Congresso Mundial Judaico.