Verenigd Koninkrijk / 23-02-2017

Um novo relatório revela que há antissemitismo entre os ativistas da campanha em prol da solidariedade com a Palestina

source: david-collier.com


Um novo relatório sobre a organização afirma, que uma dúzia de apoiantes da campanha em prol da solidariedade com a Palestina iniciaram uma atividade antissemita na Internet.

 

O relatório de 79 páginas divulgado na quarta-feira, após dois anos de coleta de material por David Collier, um ativista judeu e blogger, revela que o humor antissemita sopra entre os ativistas seniores da organização.

 

Collier participou em eventos locais da organização e disse que ele encontrou ligações entre centenas de altos membros da organização e antissemitas.

 

O ódio contra os judeus "estava sempre lá", diz ele. Entre os exemplos, Collier observa casos de negação do Holocausto, de conspiração judaica global, e afirma que o Mossad realizou os ataques terroristas em 7 de julho, em Londres.

 

O relatório de Collier traz centenas de exemplos de apoiantes do PSC envolvidos na atividade antissemita. Ele disse que os membros "muitas vezes cruzam a linha entre a crítica legítima a Israel e acusações reconhecíveis como antissemitismo clássico".

 

Em uma das filiais ele encontrou apoiantes do PSC que disseram que Israel colhe órgãos dos palestinos, e que também o Mossad realizou os ataques em Paris. Um dos ativistas publicou um link afirmando que "o Holocausto é a maior mentira que já houve".

 

Nas redes sociais podem ser encontrados milhares de artigos de apoiantes pró-palestinos onde aparecem alegações de que os judeus são responsáveis ​​por ataques terroristas em todo o mundo e que encorajam a pedofilia.